band.com.br

Tamanho de fonte
Atualizado em sábado, 3 de dezembro de 2011 - 22h56

Joinville goleia CRB e conquista a Série C

O JEC já havia vencido a partida de ida fora de casa e teve tranquilidade para só confirmar o título
Jogadores do Joinville comemoram título, o primeiro de nível nacional do clube / Leo Munhoz/Agência RBS/AE Jogadores do Joinville comemoram título, o primeiro de nível nacional do clube Leo Munhoz/Agência RBS/AE

A empolgada torcida que lotou a Arena Joinville, na tarde deste sábado, fez uma linda festa, que começou bem antes do início do jogo, continuou durante toda a partida e não tem hora para terminar. A vitória por 4 a 0, com gols de Lima, Eduardo, Pedro Paulo e Gilton, garantiu o primeiro título nacional do Coelho e o retorno do clube à Série B no próximo ano.

Após vencer o primeiro jogo da decisão por 3 a 1, em Maceió, o JEC entrou em campo em situação tranquila, já que o Galo da Pajuçara precisava vencer por três gols de diferença, ou por dois, desde que marcasse mais de quatro vezes. A repetição dos 3 a 1 da primeira partida, levaria a decisão para os pênaltis.

O jogo


O CRB iniciou pressionando, empurrado pela necessidade de um placar elástico. Os donos da casa, por outro lado, erravam muitos passes e não conseguiam chegar ao ataque de forma organizada.

Aos cinco minutos, Ronaldo Capixaba recebeu na área, foi desarmado, caiu e pediu, junto com todo o estádio, pênalti não marcado pelo árbitro.

A partida seguiu truncada até que, aos 17, Ricardinho arriscou chute de fora da área, mas o arremate saiu fraco e sem direção. Apesar disso, cada lance de ataque do JEC era seguido pelo frisson da torcida.

Aos 20, Lima fez grande jogada, driblando três adversários, e, ao chutar, foi derrubado, conseguindo boa oportunidade em cobrança de falta frontal ao gol do Galo. Ricardinho desperdiçou a chance acertando a barreira.

O CRB dominava a partida com mais toque de bola, mas não conseguia transformar o domínio em chances de gol. Ambos os times se revezavam em finalizações sem grande perigo, mostrando carência de criatividade na armação.

A partir da metade do primeiro tempo, o JEC retomou as rédeas da partida, conseguindo manter a bola sob seu domínio por mais tempo.

Aos 40 minutos, Ronaldo Capixaba recebeu de Jailton, livre na área, mas desperdiçou a maior chance da primeira etapa, chutando em cima do goleiro. Logo na sequência, o ala Eduardo foi ao fundo, bateu cruzado, a bola atravessou a área sem que ninguém aparecesse para concluir.

Quando o primeiro tempo parecia se encaminhar para um final sem maiores emoções, Gilton foi ao fundo, cruzou e Lima, de cabeça, desviou para o cantinho esquerdo do goleiro Anderson e marcou para o JEC. Explosão de alegria na Arena Joinville.

A etapa foi encerrada logo em seguida e os jogadores do CRB partiram para cima da arbitragem. Reclamavam impedimento de Lima no lance do gol.

Para a torcida, nenhuma polêmica. Motivos apenas para muito barulho e empolgação na saída do JEC para o vestiário. O Coelho ficava ainda mais próximo do almejado título nacional.

Segundo tempo: a confirmação do título

Tentando mudar o panorama desfavorável, o técnico Paulo Comelli fez duas alterações em sua equipe ainda no intervalo. Entrou Paraíba no lugar de André e Aluísio, sentindo dores no joelho, deu lugar a Cadu.

As alterações parecem ter funcionado. Logo aos três minutos, Everton Maradona, cobrou falta com perigo, buscando o ângulo de Ivan. A bola passou perto, fazendo os jequianos prenderem a respiração. Aos 7, Geovani arriscou de fora e mandou no canto para boa defesa do goleiro do Coelho.

Como na primeira etapa, o Joinville foi, aos poucos retomando o controle do jogo. Aos 11 minutos, Lima quase marcou o segundo do JEC em chute cruzado que acertou a trave de Anderson.

Aos 18, a missão do CRB ficou ainda mais complicada. Marco Antônio matou contra-ataque jequiano, recebeu o segundo amarelo e foi expulso. Com a vantagem no placar e no número de jogadores, os gritos de incentivo não mais cessaram.

As esperanças alagoanas acabaram quando, aos 29, Eduardo fez grande jogada individual, entrou na área e, na saída do goleiro, tocou prensado com a defesa e viu a bola entrar. Dois a zero JEC.

Aos 31, após muitas reclamações, o técnico Paulo Comelli foi expulso e, enquanto deixava o campo, viu Pedro Paulo, após passe de Ramón, marcar o terceiro gol.

O JEC não perdeu o ímpeto com a vantagem e marcou o quarto, aos 42, quando, após dividida, a bola sobrou para Gilton, com categoria, encobrir o goleiro Anderson. Era o gol definitivo.

Quando o árbitro Fabrício Neves Correa apitou pela última vez, decretando o título tricolor, a emoção tomou conta da Arena e a torcida pôde comemorar seu primeiro título nacional, conquista mais importante dos 35 anos de história jequiana. Festa na Arena, festa na cidade de Joinville.

FICHA TÉCNICA

JOINVILLE (4)
Ivan, Pedro Paulo, Fabiano Silva e Linno; Eduardo, Mateus (João Henrique 35'/2ºT), Ricardinho, Jailton (Ramón 30'/2ºT)e Gilton; Ronaldo Capixaba (Bruno Rangel 39'/2ºT) e Lima - Técnico: Arturzinho.

CRB (0)
Anderson Paraíba, Pio, Ednei, Rodrigão e Rafinha; Roberto Lopes, Marco Antônio, André (Paraíba - intervalo) e Everton Maradona; Aloísio Chulapa (Cadu - intervalo) e Geovani - Técnico: Paulo Comelli.

Gols: Lima 44'/1ºT (1-0), Eduardo 29'/2ºT (2-0), Pedro Paulo 33'/2ºT (3-0) e Gilton 41'/2ºT (4-0)

Local: Arena Joinville, Joinville (SC)
Data-Hora: 03/12/2011 - 17h (de Brasília)
Árbitro: Fabrício Neves Correa (RS). Auxiliares: Tatiana Jacques de Freitas (Asp.Fifa - RS) e José Eduardo Calza (CBF-RS)
Renda e público: R$ 332.835,00 / 19.637 presentes
Cartões amarelos: Ricardinho, Eduardo (JEC); Rodrigão, Marco Antônio (CRB)
Cartões vermelhos: (JEC); Marco Antônio (CRB)

Cadastrando-se em nossa newsletter, você receberá diariamente em seu e-mail as últimas Notícias de Esporte do Band.com.br
Aceito receber e-mails da Band e parceiros