Em clássico de baixo público, Botafogo vence Fluminense e reage na tabela

Atacante Roger, na primeira etapa, marcou o único gol do jogo

Em um Maracanã com menos de 15 mil torcedores, o Botafogo aproveitou a ausência do artilheiro Henrique Dourado no Fluminense para vencer o clássico por 1 a 0, na noite desta quarta-feira. Roger marcou o único gol da partida, no bom primeiro tempo protagonizado pelos dois times. A segunda etapa foi de poucas emoções, nesta 13ª rodada do Brasileirão.

CONFIRA A CLASSIFICAÇÃO DO CAMPEONATO BRASILEIRO!

Com o triunfo, diante de 14.851 torcedores, o time de Jair Ventura chegou aos 19 pontos e reagiu na tabela, subindo para o provisório oitavo lugar. Encerrou, assim, uma sequência de três jogos sem vitória. A última havia sido justamente em um clássico contra o Vasco, no mês passado.

O Flu, por sua vez, estacionou nos 17, na parte intermediária da classificação. A equipe de Abel Braga chegou à quarta partida seguida sem triunfo no Brasileirão. No clássico desta quarta, o treinador não pôde contar com o artilheiro do campeonato. Henrique Dourado cumpriu suspensão após levar o terceiro cartão amarelo.

Ele voltará ao time na próxima rodada, quando o Fluminense visitará o Coritiba, no Couto Pereira, no domingo. O Botafogo jogará somente na próxima segunda-feira, contra o Sport, no Engenhão.

O JOGO

O Fluminense assumiu o controle da partida nos primeiros minutos. Dominou o meio-campo, sem maior resistência do Botafogo, e partiu para o ataque. Mas o volume de jogo inicial foi rapidamente ofuscado por duas perigosas investidas do rival no ataque. Marcos Vinícius quase abriu o placar aos 8, em chute à queima-roupa de Júlio César, que salvou o tricolor. Na sequência, Pimpão desperdiçou outra oportunidade para o Botafogo.

A resposta do Flu veio aos 19, com Pedro. Antes, Reginaldo apareceu com perigo na área, sem dar maior trabalho ao goleiro Jefferson. Era evidente a falta que Henrique Dourado, artilheiro do Brasileirão, fazia ao tricolor - ele cumpriu suspensão pelo terceiro cartão amarelo.

Embora mais recuado, o Botafogo tinha maior sucesso em sua estratégia de atacar com cautela, porém com mais força. Foi assim que Marcos Vinícius acertou belo chute de fora da área e carimbou a trave, aos 27. Júlio César neutralizou outra investida do meia aos 35, em bela defesa, após chute forte de dentro da área.

Mostrando maior intensidade em suas investidas no ataque, o Botafogo abriu o placar em lance de bola parada. João Paulo cobrou escanteio na movimentada área tricolor e Roger cabeceou para as redes, aos 38 minutos.

Gustavo Scarpa, com atuação discreta na etapa inicial, tentou o empate em lance individual, aos 45, ao disparar pelo meio e bater de fora da área. A bola passou rente à trave direita de Jefferson.

Para o segundo tempo, o técnico Abel Braga resolveu mudar o ataque. Sacou Pedro e colocou Calazans em campo. Na sequência, trocou o lateral Mascarenhas pelo atacante Matheus Alessandro. As dificuldades do Flu, contudo, seguiam no meio-campo, uma vez que Scarpa seguia apagado. E Richarlison e Wellington Silva não encontravam em campo.

Mesmo mais contido, o Botafogo continuava mais perigoso no ataque. Aos 9, Victor Luis cobrou falta direto no gol e assustou Júlio César. Na metade da etapa, o técnico Jair Ventura deu nova chance a Camilo, que entrou no lugar de Marcos Vinícius, então melhor jogador do Botafogo em campo.

A mudança pouco alterou o panorama do meio-campo botafoguense, sem maior criatividade. Aos poucos, o time alvinegro recuou mais do que vinha fazendo e deu espaço para o Fluminense. Não foi o suficiente para o tricolor buscar o empate. O máximo que os mandantes conseguiram fazer foi acertar a trave, com Matheus Alessandro, aos 32. Quatro minutos depois, o Botafogo mandou outra na trave, com Guilherme, na última boa chance de gol no clássico.

Bandeira trabalha em jogo sem sutiã e com camisa molhada:

Compartilhar

Ler a notÍcia completa

Deixe seu comentário