Gianni Infantino: Argentina pode escapar de punição

Presidente da Fifa afirmou que AFA precisa aceitar Conmebol como supervisora

A Argentina está perto de resolver um impasse que poderia resultar em uma suspensão da federação de futebol do país, disse o presidente da Fifa, Gianni Infantino, nesta quinta-feira.

A Fifa alertou a Associação de Futebol Argentino (AFA) este mês que poderia ser suspensa se não aceitasse ter a Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) como supervisora, com poder de veto, dos candidatos de sua eleição presidencial em 29 de março.

A AFA decidiu no mês passado modificar um artigo em seu novo estatuto nomeando uma associação de advogados de Buenos Aires, e não o conselho de ética da Conmebol, como órgão responsável pela verificação dos candidatos.

"Estou confiante que não vai haver necessidade de medidas dramáticas", disse o presidente da Fifa em entrevista coletiva.

Falando após um encontro da Fifa em Londres, Infantino disse que o estatuto argentino atualmente está "mais ou menos acertado" e que não vai haver necessidade de suspensão se tudo correr conforme planejado.

"Tem apenas uma questão em aberto que será resolvida logo. Estou muito confiante nisso, e então a eleição vai acontecer", disse. "Acho que quando a eleição ocorrer de forma adequada e democrática, e um novo presidente for eleito, então certamente continuaremos nosso trabalho de perto com a Argentina."

No ano passado, a Fifa colocou a AFA sob intervenção de um "comitê de normalização" para colocar a casa em ordem.

Durante 35 anos a AFA foi comandante por Julio Grondona até sua morte em 2014, e desde então está imersa em uma crise financeira e de governança.

Uma eleição realizada um ano após a morte de Grondona foi marcada por fraude, com um empate de 38 a 38 entre dois candidatos sendo que apenas 75 votaram.

MAIS
Conheça as mulheres que são inspiração no esporte

 

Compartilhar

Ler a notÍcia completa

Deixe seu comentário