Prass revela como lidou com a reserva e pressão no Palmeiras

Experiente goleiro diz que nunca tinha vivido isso na carreira e que não dá para ser campeão todo ano

Fernando Prass tem seu nome marcado na história do Palmeiras. Querido pelos torcedores, o goleiro viveu nesta temporada uma novidade na carreira, conviver com o banco de reservas, depois que perdeu espaço para Jailson. Experiente, ele revelou como lidou com a situação e falou também sobre a grande pressão que o time passou este ano.

“Pra mim foi uma situação nova, porque ao longo da minha carreira poucas vezes eu vivi isso. Tem os dois lados, o de se lamentar e de com 20 anos de carreira nunca ter passado por isso. Eu prefiro ver o lado bom. Uma nova experiência, e mantive sempre minha conduta, minha personalidade, não mudei em nada”, disse ele em entrevista à Rádio Bandeirantes.

Sobre a pressão, Prass disse que todo mundo que joga no Palmeiras sabe que ela existe e tem que estar preparada para ela, mas seu discurso sobre o fracasso na Libertadores, competição que era o principal objetivo do clube no ano, relembra o quão difícil é conquistar esse título, além do equilíbrio que existe no futebol brasileiro, que impede uma equipe de ser campeã todo ano.

“Quem joga no Palmeiras sabe que tem pressão, mas esse ano foi criado uma expectativa muito maior. Vi gente dizendo que podia entregar as faixas de todos campeonatos depois da contração do Guerra e do Borja, e por mais que o grupo fique blindado disso, acaba entrando na torcida, e quando isso acontece, gera a expectativa muito grande mesmo e uma pressão. Mas se for ver no Brasil o time que mais ganhou a Libertadores tem três títulos, ai você vê a dificuldade que é ganhar uma Libertadores. E mesmo o Palmeiras, se você olhar atrás, teve times espetaculares e que não conseguiram vencer a competição. A frustração foi do tamanho da expectativa”, comentou.

Para o goleiro, o time do Palmeiras já superou a eliminação na Libertadores, e tem que ser assim. “O time já se recuperou, a gente tem que saber lidar com isso. No Brasil, onde é ainda mais equilibrado, não se ganha título todo ano, e se for assim vai ter um tsunami todo ano”, opinou ele sobre a pressão pela queda.

Com contrato somente até o final do ano, Fernando Prass ainda vive a incerteza de seu futuro. O goleiro jpá revelou que quer jogar pelo menos mais dois anos, e que seu desejo é fazer isso no Palmeiras, mas ainda não conversou com a diretoria sobre uma renovação.

“Não sei o que vai acontecer comigo, estou na expectativa. Já falei isso, e posso falar de cara limpa porque eu vim pro Palmeiras em uma época muito complicada do clube, que era muito difícil de contratar. Eu vim pra cá com a maior boa vontade e ainda mais depois da toda história que construí aqui, minha vontade é ficar”, pontuou.  

Veja também: Jogadores do São Paulo anunciam greve de entrevistas

Compartilhar

Ler a notÍcia completa

Deixe seu comentário