São Paulo tem que mostrar se está na briga pelo título ou não, diz Aguirre

Técnico coloca duelo contra o Internacional como decisivo na disputa do Campeonato Brasileiro

O péssimo desempenho no returno fez o São Paulo perder a liderança do Campeonato Brasileiro e cair para a quarta colocação. Neste domingo, 14, o Tricolor enfrenta o Internacional fora de casa em duelo importante para as pretensôes do clube na competição segundo Diego Aguirre.

Em entrevista ao Jogo Aberto, o técnico afirmou que o clube paulista precisa reagir rápido após a derrota no Morumbi para o rival Palmeiras e quem sair vitorioso no duelo no Beira-Rio ainda pode sonhar com o título nacional.

"Falta pouco para acabar o campeonato, os jogos são cada vez mais decisivos. Quem conseguir a vitória neste jogo, vai continuar com a ilusão de poder brigar até o final pelo título. Quem perder, acho que vai ficar longe dessa possibilidade. Por isso, é um jogo determinante, decisivo e que vai marcar o futuro dos dois times, temos que estar preparados para deixar as coisas ruins que aconteceram para trás", declarou.

"São Paulo tem que mostrar se está para brigar pelo título ou não", completou.

Para a partida contra o Inter, Aguirre não poderá contar novamente com Everton. O meia-atacante sofreu um estiramente no músculo posterior da coxa esquerda e deve desfalcar a equipe por três semanas. Aguirre reconheu que o time sente falta do ex-flamenguista.

"Tem jogadores que são determinantes, como é o caso de Everton, ele foi um dos melhores do nosso time. Às vezes não pode se depender tanto de uma individualidade, mas acontece. Uma das razões importantes para que o São Paulo não tenha continuado nas vitórias e jogado bem foi a falta dele. Temos que superar como time e não pensar, mas claro que seria importante que ele tivesse, mas não temos que pensar nisso", argumentou.

Após a queda no futebol apresentado, o São Paulo passou a ser alvo de reclamações da torcida. O técnico se mostrou compreensivo com a frustração. "O problema são as expectativas que o time foi criando. No começo do ano, estava com muitas dificuldades quando chegamos, as coisas estavam difíceis, vinha de dois anos ruins, mas o time foi gerando uma identidade, uma ilusão em todos, na diretoria, na torcida. Agora, quando não conseguimos os pontos e as vitórias para nos mantermos no topo da tabela, onde estivemos por oito rodadas, sentimos isso e estamos triste por o que aconteceu", resumiu.

Compartilhar

Ler a notÍcia completa

Deixe seu comentário