Neymar pai diz que craque foi agredido e filmado por suposta vítima

Empresário afirmou que o filho também tentou registrar o 2º encontro, mas se atrapalhou

Neymar pai deu maiores detalhes da acusação de estupro contra Neymar em entrevista exclusiva ao programa Aqui na Band. O empresário revelou que o jogador percebeu que está sendo filmado quando teve um segundo encontro com a mulher de 26 anos em um hotel em Paris, na França, e que ela teria ficado chateada porque gostaria de ter mais atenção.

"Ressentimento que ela teve é que o Neymar não deu essa importância e ele tinha que treinar. Ela queria que ele fosse de qualquer jeito. Quando ele vai no segundo dia, ele vê o celular dela e percebe que ela está filmando. Nós sabemos que ela tem uma imagem e seria importante soltar o vídeo. Ela mandou coisas dizendo que tem o vídeo", relatou Neymar pai.

"O Neymar também tenta filmar, gravar, mas ele erra, coloca o celular no bolso, mas ele não consegue", completou.

De acordo com o empresário, o craque percebeu que estava sendo vítima de uma armadilha. "Ele não queria mais, queria que ela fosse embora, a gente não sabe o que passa na cabeça dela", disse.

O pai do atacante afirmou que agora cabe a Justiça apurar e que o "ônus da prova cabe à ela". "Eu conheço meu filho, tenho certeza, não só coloco a mão no fogo, como dou a minha vida por ele, tenho certeza que ele não cometeu crime algum, mas a gente sabe das armadilhas. O que meu filho precisa aprender é que vão colocar uma casca de banana todo dia para ele, agora ele vai ter que escolher melhor as suas amizades. Eu vou ter que participar da vida pessoal dele, as pessoas em torno dele vão ter que se preocupar mais, vamos ter que ser mais seletivos", declarou.

Neymar pai também rebateu as críticas que o filho é "mimado" por todos que estão ao redor dele. "Se eu protegesse demais, isso não aconteceria. Acho que o Neymar é acessível, até acessível demais, isso acaba aqui", prometeu.

O pai também defendeu a divulgação das supostas mensagens trocadas entre os dois. "Não tínhamos escolha. Eu prefiro um crime de internet a de estupro. Foi o Instagram que tirou. Pelas regras do Instagram estava normal. Ele preservou a imagem, o nome. Ele precisava se defender rapidamente. É melhor ser verdadeiro e mostrar o que aconteceu. Sabíamos da chantagem, mas não da coragem de fazer um BO em cima de uma situação dessas", argumentou.

Compartilhar

Ler a notÍcia completa

Deixe seu comentário