Brasil vence França com virada no 2º tempo e decide Mundial Sub-17 com México

Seleção leva dois gols no início, mas mostra reação na etapa final e fica com a vaga na decisão

Com uma improvável virada no segundo tempo, a seleção brasileira está classificada à final do Mundial Sub-17. Após ir ao intervalo perdendo por 2 a 0, a equipe superou a França por 3 a 2, no Bezerrão, no Gama (DF), para delírio dos 13.587 torcedores presentes ao estádio nesta quinta-feira.

Na decisão, marcada para domingo, às 19 horas, a seleção terá pela frente o México, que horas antes derrotou a Holanda na disputa de pênaltis, após empate por 1 a 1. E a partir das 15 horas, as seleções europeias derrotadas nesta quinta-feira vão duelar pelo terceiro lugar.

Três vezes campeão no torneio organizado pela Fifa, com os títulos obtidos em 1997, 1999 e 2003, o Brasil não vai à final desde 2005, quando foi superado por 3 a 0 exatamente pelo México na luta pelo título, no Peru. Agora, então, voltará a disputar a final, depois de vencer os seis jogos que fez na competição.

Na sua campanha, a seleção goleou o Canadá por 4 a 1, bateu a Nova Zelândia por 3 a 0 e depois fechou a primeira fase do torneio derrotando Angola por 2 a 0. Na sequência, a equipe comandada pelo técnico Guilherme Dalla Déa superou o Chile por 3 a 2 nas oitavas de final e eliminou a Itália com um triunfo por 2 a 0 nas quartas. Agora, então, deixou para trás a França, que também havia ganhado os seus cinco jogos anteriores.

Curiosamente, o Brasil nem iria participar do Mundial Sub-17, pois havia fracassado no Sul-Americano da categoria, disputado entre março e abril, sendo eliminado na primeira fase. Mas como o Peru perdeu o direito de organizar a competição, a definição do País como sede permitiu que a seleção disputasse o torneio como equipe anfitriã. E agora terá a chance de ser campeã em casa.

O JOGO - Após abrir o placar das suas partidas anteriores do Mundial logo nos minutos iniciais, a seleção precisou encarar situação adversa nesta quinta. Dominada no começo do duelo pela França, foi vazada logo no sétimo minuto, com Kalimuendo-Muinga, que foi acionado na grande área por Aouchiche. Livre e na cara do gol, bateu rasteiro para superar Matheus Donelli, fazendo 1 a 0.

E a situação ficou ainda mais complicada na sequência, aos 13, quando a França ampliou a sua vantagem com um golaço. Em linda jogada individual, Mbuku, tabelou com Pembele na esquerda, deu uma caneta em seu marcador na grande área e chutou na saída de Donelli.

A vantagem escancarava o domínio da França. Bem postada em campo, dava poucos espaços em campo para o Brasil, que tinha dificuldades para criar chances claras. Assim, trocava passes sem perigo, pois até tinha maior controle da posse de bola, mas sem ser efetiva.

No fim do primeiro tempo, a esperança de uma reação se transformou em revolta, pois o árbitro salvadorenho Ivan Barton chegou a marcar pênalti de Mbuku em Yan, mas o anulou após consulta ao VAR. Assim, o placar ao intervalo era mesmo de 2 a 0 para a França.

Na etapa final, o Brasil buscava pressionar, mas deixava espaços perigosos na defesa, embora os adversários não aproveitassem. Ainda assim, a seleção conseguiu marcar, aos 16 minutos. No lance, Peglow cobrou escanteio, Henri dividiu na segunda trave com Pembélé, a bola ganhou altura e Veron cabeceia para dentro da pequena área. Henri testou e Kaio Jorge desviou para as redes, recolocando a equipe no jogo e marcando pela quarta vez no Mundial.

A partir daí, a seleção transformou o jogo em um duelo de ataque contra defesa. E arrancou o empate aos 30, quando Daniel Cabral cruzou da esquerda na área, a zaga da França cortou mal e Yan finalizou cruzado. Zinga espalmou e Verón encheu o pé para igualar o placar.

Com o placar igual, a França voltou a se lançar ao ataque. Perdeu chances, teve um gol bem anulado por impedimento e viu o Brasil definir o jogo aos 44 minutos. Após chutão do goleiro Donelli, Lázaro dominou, invadiu a área pela esquerda, driblou Soppy e chutou forte e rasteiro, definindo a vitória e a passagem do Brasil à final do Mundial Sub-17.

Compartilhar

Ler a notÍcia completa

Deixe seu comentário