Jogador que chamou brasileiros de "negros" se desculpa

Johan Fuentes, capitão do Cobresal, rival do Corinthians desta quarta-feira, diz ter sido mal interpretado e nega ser racista

“Os negros estão assustados”. Estas quatro palavras do capitão do Cobresal, Johan Fuentes, repercutem por todo o Brasil desde a terça-feira. Em entrevista à rádio ADN, do Chile, o meio-campista causou polêmica ao falar do cenário que o Corinthians encontrará em El Salvador nesta quarta-feira, às 21h45, na estreia na Libertadores da América.

“Li no Twitter e é verdade que os negros estão bastante assustados pelo tema do deserto e da altura. Temos de ser bem inteligentes, fazer com que eles se afoguem, ter a bola e pressioná-los quando estejam afogados”, afirmou Fuentes à rádio.

No entanto, o meio-campista garante que não teve a intenção de ser racista ou preconceito. Em entrevista ao Portal da Band, Fuentes deu sua versão do ocorrido.

Não vamos nos classificar, diz dirigente do Cobresal
Conheça as curiosidades do Cobresal

“Ontem me ligaram de quase todos os meios de Santiago. Falei dos brasileiros, do Corinthians e, lamentavelmente, não achei outra palavra e falei ‘os negros’, no sentido de que vinham assustados a El Salvador porque não conheciam o deserto. Não falei isso como uma forma de racismo, nem menosprezando o povo brasileiro. Mas aqui a imprensa é uma classe tão ruim que subiram a matéria de uma maneira como se eu estivesse falando mal”, esclareceu Fuentes, que inclusive diz ter reclamado com o autor da matéria na internet.

“Depois me ligou a pessoa que fez a entrevista e eu disse: ‘olha o que você faz com uma palavra ruim e uma frase solta colocada na internet. Isso faz mal ao futebol’. Na verdade, eu nunca falei assim. Ele me pediu desculpas e falou que tiraram a frase do que eu havia dito e subiram a matéria. Eu disse: ‘bom, a cagada já está feita’. Não queria que saísse meu nome assim, como se eu fosse um jogador mau-caráter”, continuou o capitão do Cobresal.

Johan Fuentes fez questão de reiterar que não falou aquilo por maldade e aproveitou a oportunidade para se desculpar aos brasileiros.

“A verdade é que eu nunca quis falar isso como forma de racismo ou mau-caráter. Eu admiro o futebol brasileiro. Essa briga que a imprensa criou é coisa de gente ruim. Acima de tudo, queria pedir desculpas a quem se sentiu ofendido e dizer que não quis falar nada nesse sentido”, concluiu.


CLIQUE NA IMAGEM ABAIXO
Linha do Tempo! Conheça a história das medalhas olímpicas

Compartilhar

Ler a notÍcia completa

Deixe seu comentário