Médico do Grêmio escapou de ataque em Nice

Paulo Rabaldo jantava com a família na cidade e só não foi à rua acompanhar a queima de fogos por ter se atrasado

O médico do Grêmio, Paulo Rabaldo, estava jantando com a família num restaurante próximo ao local do atentado em Nice, na França. Pelo menos 80 pessoas morreram nesta quinta-feira após um caminhão atropelar uma multidão que acompanhava a queima de fogos do feriado do Dia da Bastilha.

“Tínhamos combinados de ver os fogos do Dia da Bastilha, uma revolução deles. Após a janta, a gente iria no horário, mas nos atrasamos, graças a Deus. Só vimos o restaurante retirando todas as mesas das calçadas e uma multidão correndo, chorando, telefonando...”, explicou em entrevista por telefone à Rádio Bandeirantes de Porto Alegre.

Rabaldo decidiu passar as férias na cidade francesa após o convite da filha, que estuda em Madri, na Espanha.  “Tenho uma filha que estuda na Europa, ela está em férias. A gente fez uma volta por Nice, que é uma praia semelhante ao que Florianópolis é para o nosso verão. Uma praia linda que recebe gente do mundo todo.”

Imagem forte: Veja abaixo vídeo do momento exato do ataque

O médico ainda contou que após o ataque os moradores e turistas se recolheram, atendendo ao pedido do prefeito de Nice. “Aqui é uma região de bares. Ontem, só se ouvia alegria. Agora, a cena é estarrecedora. Só o barulho de sirenes da polícia, dos bombeiros. Está todo mundo assustado e angustiado”.

O médico do Grêmio, Paulo Rabaldo: Foto: Reprodução/Grêmio

Veja imagens do ataque com o caminhão em Nice

 

Compartilhar

Ler a notÍcia completa

Deixe seu comentário