‘Perdi para ele, mas a Justiça divina no momento certo chega’, diz Luxemburgo sobre Edmundo

Ex-atacante processou o técnico, que teve de quitar uma dívida relativa a dois cheques emprestados

Vanderlei Luxemburgo participou nesta sexta-feira, 24, do programa Os Donos da Bola, apresentado por Neto na tela da Band. Durante o bate-papo franco, o técnico do Palmeiras falou sobre uma disputa judicial que teve contra o ex-atacante da Seleção, Edmundo.

"Já trabalhei com jogador que eu tinha divergência, mas acho que profissionalmente você se adapta, você se ajeita. Porque é local de trabalho, você é obrigado a se ajeitar. De todos os jogadores, só não quero conversa com um: o Edmundo. Que ele siga a vida dele e eu siga a minha vida sem problema nenhum", desabafou.

"Eu perdi para ele na Justiça daqui da Terra, mas a Justiça divina sabe que eu tinha razão em tudo aquilo que eu falei. Todo mundo sabe que eu não devia nenhum dinheiro para ele e ele achou por bem me cobrar na Justiça. Ele me cobrou e eu perdi, porque eu não tinha o documento [que comprovasse a quitação do débito]", completou.

O imbróglio entre Luxemburgo e Edmundo começou em 2006, quando o ex-atacante cobrou judicialmente o técnico o valor de dois cheques, de R$ 200 mil cada, que teriam sido utilizados pelo treinador para quitar um empréstimo em 1999. Em 2011, a Justiça determinou o pagamento de uma dívida de quase R$ 2 milhões e o caso foi se arrastando nos tribunais até a resolução em 2015.

"Um amigo meu tinha uma empresa no Paraná que pegava o dinheiro e pagava os juros todo mês. O Djalminha aplicou durante um ano e o Edmundo também. O meu amigo simplesmente quebrou porque a filha dele tinha uma doença rara, que foi ficando pequena e definhando. Tudo que ele tinha foi pelo ralo. E eu era responsável pela aplicação deles, porque eu indiquei. O que eu fiz? Fui lá e paguei ao Edmundo aquilo que ele aplicou", explicou Luxemburgo.

"Eu me senti na obrigação de pagar o que meu amigo não pôde pagar e paguei. Eu nem tinha mais conta no banco quando o Edmundo entrou na Justiça para cobrar aquilo lá. Ele preferiu resolver dessa forma. Só lamento que eu não tive defesa e perdi na Justiça. As pessoas me sacaneiam até hoje por causa disso daí, mas tem a Justiça divina. A Justiça divina existe e no momento certo ela chega", finalizou.

Em janeiro de 2015, uma audiência na 7ª Câmara Cível do Rio de Janeiro decidiu que Luxemburgo teria de pagar a Edmundo o valor da dívida corrigido. O débito de R$ 400 mil já estava em R$ 2,35 milhões e foi parcelado em 10 vezes. À ocasião, o ex-jogador de futebol comemorou o fim da disputa em declaração à imprensa.

"[Ele] insistia em dizer que já tinha pago, quando ainda existia a pendência. Isso me deixou muito chateado porque parece que eu estava errado na história. O desembargador foi muito bacana, honesto com ambas as partes, ao dizer que a briga não leva a nada. É melhor um péssimo acordo do que uma boa briga", declarou ao site do Globo Esporte na época.

Veja mais: Luxemburgo explica escolha por Felipe Melo como zagueiro

E ainda: Luxemburgo fala sobre reunião com integrantes da Mancha Verde

Compartilhar

Ler a notÍcia completa

Deixe seu comentário