Chamado de 'vigarista', Maradona critica documentário sobre própria vida

Ídolo argentino afirmou que não gostou do título e pediu para que os fãs não assistam ao filme

Diego Maradona criticou o novo documentário sobre sua vida e recomendou às pessoas que não o vejam quando estrear no mês que vem. Os cartazes do filme de duas horas sobre o polêmico ex-atacante argentino dizem: "Diego Maradona - Rebelde, Herói, Vigarista e Deus", e o campeão mundial ficou incomodado com o uso da palavra "vigarista".

"Joguei futebol e ganhei meu dinheiro correndo atrás da bola. Não extorqui ninguém", disse Maradona em uma entrevista à rede Univisión, na terça-feira. "Se eles querem atrair o público assim, estão equivocados... O título não me agrada, e se o título não me agrada, o filme não me agradará. Não vão vê-lo", acrescentou.

O diretor Asif Kapadia, que realizou os documentários premiados Amy e Senna, já havia dito que Maradona não havia visto o filme e reconheceu que estava interessado na reação do astro quando o visse.

"Estamos lidando com arquivos muito antigos, haverá muitas imagens que ele mesmo não viu de si mesmo, de sua família, de seus filhos", afirmou Kapadia. "Então acho que será muito comovente para ele", acrescentou.

Maradona, que atualmente é técnico do Dorados, do México, perdeu a pré-estreia da produção no Festival Internacional de Cinema de Cannes no domingo.

As críticas iniciais foram mistas. Alguns declaram que o filme se baseia em uma coleção de vídeos pessoais de Maradona e que traz cenas coloridas, mas que carece de impacto. "Não importa a quantidade de noticiários que nos mostrem ou o quão fascinantes sejam, toda essa realidade fragmentada não consegue ajudar a revelar o que há dentro do homem em seu centro", analistou a revista Variety.

O documentário estreará nos cinemas em 14 de junho.

Compartilhar

Ler a notÍcia completa

Deixe seu comentário