Comemoração dos EUA em goleada no Mundial feminino divide opiniões

Norte-americanas venceram a Tailândia por 13 a 0 na estreia na Copa do Mundo na França

A vitória recorde por 13 a 0 dos Estados Unidos sobre a Tailândia na Copa do Mundo de Futebol Feminino na terça-feira não agradou a todos, com opiniões divididas sobre se o time deveria ter punido tão implacavelmente um oponente tão sem sorte.

A atacante Alex Morgan fez cinco dos gols do início de campanha das atuais campeãs com a maior margem de vitória em Mundiais, seja masculina ou feminina.

No entanto, Taylor Twellman, ex-jogador da seleção masculina dos EUA, criticou o time nas redes sociais por acreditar que as comemorações de gol em Reims foram excessivas. "Comemorar gols (como #9) deixa um gosto amargo na minha boca, como muitos de vocês. Estou curioso para ver se alguém pedirá desculpas por isso depois do jogo", escreveu Twellman no Twitter para seus 327 mil seguidores. Ele também criticou a seleção feminina por mostrar as cartas antes de jogos com rivais mais difíceis.

A treinadora Jill Ellis defendeu a abordagem de seu time e afirmou que teria sido desrespeitoso facilitar para a Tailândia, apesar da vantagem enorme. "Ser respeitoso com os oponentes é jogar duro com eles", disse ela aos repórteres. "É um torneio no qual a diferença de gols é um critério".

"Grande parte disto é sobre criar ímpeto, e por isso, como técnica, não acho que é meu trabalho conter minha jogadoras". "Respeito a Tailândia, conversei com algumas delas mais tarde e elas deveriam ficar de cabeça erguida. Isso é parte do crescimento do esporte".

A artilheira internacional Abby Wambach também defendeu suas ex-colegas de seleção: "Para todos que têm problemas com muitos gols: para algumas jogadoras é seu primeiro gol de Copa do Mundo, e elas deveriam estar empolgadas".

Compartilhar

Ler a notÍcia completa

Deixe seu comentário