Mina não esquece do Palmeiras e até 'recomenda' clube para Falcao García

Zagueiro afirmou que se sente em casa por jogar no Brasil por causa da torcida alviverde

Dois jogos, duas vitórias, seis pontos ganhos, três gols marcados e nenhum sofrido. A campanha da Colômbia na Copa América de 2019 até agora é impecável. Mas, para o zagueiro colombiano Yerry Mina, contudo, o “paredão” de sua seleção não tem sido o principal assunto. O defensor não consegue deixar de falar do que parece ser uma das suas grandes paixões: o Palmeiras e a sua torcida.

Desde que chegou ao Brasil, o zagueiro tem rasgado elogios ao ex-clube. Primeiro, em Salvador, disse que era um prazer voltar ao País e que o maior clube daqui era mesmo o alviverde. Depois, aproveitou que a Colômbia se preparou para o jogo contra o Catar na Academia de Futebol, em São Paulo, e conversou com amigos e cartolas do clube - ganhou uma camisa nova das mãos do presidente Maurício Galiotte.

Na quarta-feira, na zona mista do estádio do Morumbi após ajudar a sua seleção a bater o Catar por 1 a 0, falou de novo do Palmeiras, da torcida e disse que faz até campanha para que, caso o atacante Falcao García jogue no futebol brasileiro, que seja no “seu time”.

“Eu falo para ele: ‘Cara, você é fera! Se quiser jogar no Brasil algum dia, venha ao Palmeiras. O Palmeiras vai te dar muito carinho. Eu já joguei lá e agradeço por tudo o que me proporcionaram'”, contou o zagueiro para a imprensa brasileira que se espremia na zona mista.

Há alguns meses, Falcao García foi, de fato, especulado no Palmeiras - os torcedores do clube invadiram o Instagram do atacante do Monaco pedindo para que ele viesse ao futebol brasileiro. Perguntado se havia ouvido alguma coisa sobre uma possível transferência, o jogador confirmou. “Sim, escutei algo, futebol brasileiro é muito importante, os clubes são dos mais importantes do mundo, históricos, mas agora estou concentrado na Copa América. Agradeço o interesse, quem sabe, no futuro”.

Mina afirmou ainda que ficou impressionado com a quantidade de pessoas que ele viu com a camisa do Palmeiras nesses dias no País. E contou que sempre que encontra alguém vestido com a camisa, com a qual ele se sagrou campeão brasileiro de 2016, faz questão de agradecer. “Eu olho os torcedores e fico muito feliz com tudo isso. Eu sempre faço questão de cumprimentar, dou um abraço e falo ‘muito obrigado’ pra eles”.

O zagueiro ainda disse que faz bem para ele jogar no Brasil. O motivo? Mais uma vez a razão é verde. "Ah, jogar aqui me faz bem demais, eu fico feliz demais de voltar. Aqui é como se fosse a minha casa, né? É o meu Palmeiras”.

SOLIDEZ DEFENSIVA - Mina também conversou com os jornalistas sobre a atuação de sua seleção no Morumbi. Para ele, ainda é cedo demais para fazer uma análise mais profunda sobre os caminhos da Colômbia na competição. “Estamos tranquilos, fazemos as coisas bem. Mas não ganhamos nada, todo o time tá junto nisso”, disse. Segundo ele, o técnico português Carlos Queiroz conseguiu em pouco tempo ajustar a marcação da equipe. “Ele nos passa muita confiança, nos faz trabalhar bem na defesa. O mérito é dele”.

Compartilhar

Ler a notÍcia completa

Deixe seu comentário