Newgarden conquista bicampeonato da Indy

Campeão pela primeira vez em 2017, americano repete conquista com oitavo lugar no GP de Laguna Seca

De volta ao calendário da Fórmula Indy depois de 15 anos, o circuito de Laguna Seca foi palco da final da temporada de 2019 e viu a consagração do norte-americano Josef Newgarden, que ficou em oitavo na corrida deste domingo e conquistou seu segundo título com a equipe Penske.

A vitória ficou com o novato norte-americano Colton Herta, que largou da pole e segurou a pressão dos rivais na pista californiana. Fora da briga pelo título assim como o vencedor, o experiente Will Power, australiano da Penske, ficou em segundo.

O terceiro colocado foi o neozelandês da Chip Ganassi Scott Dixon, que buscava seu sexto título. Vencedor das 500 Milhas de Indianápolis neste ano, o francês Simon Pagenaud, da Penske, caçava seu segundo título na Indy, mas teve que se contentar com o quarto lugar na prova deste domingo. Outro concorrente ao título, o norte-americano Alexander Rossi, da Andretti, terminou em sexto.

A CORRIDA - Na largada, Dixon partiu para cima de Herta, mas o novato fechou a porta do pentacampeão e se manteve na ponta. Logo atrás, Rossi, Newgarden e Pagenaud mantiveram suas posições, nesta ordem.

Depois de dez voltas, os ponteiros começaram a fazer seus pit stops. O primeiro a parar foi Pagenaud. Na sequência, pararam Rossi e Newgarden. Este levou a melhor e ganhou a posição nos boxes. Pouco depois de voltarem à pista, os norte-americanos acabaram ultrapassados por Pagenaud, que vinha em ritmo alucinante com os pneus mais aquecidos em função do pit stop anterior.

Na sequência, foi a vez de Rossi ultrapassar Newgarden, que não ofereceu resistência por estar em estratégia diferente e ter a vantagem na tabela de pontuação. Depois, Dixon fez sua parada e voltou na frente dos concorrentes ao título, mas atrás de Herta. O novato fez seu pit stop na sequência e conseguiu se manter à frente do veterano.

Correndo por fora, o australiano Will Power, da Penske, e o novato sueco Felix Rosenqvist, da Chip Ganassi, ultrapassaram Rossi e Newgarden, que voltaram a parar ao mesmo tempo, na volta 37. As posições se mantiveram. O mesmo ocorreu com Dixon e Pagenaud, que foram juntos para o pit stop e se mantiveram nas posições originais. Herta parou em seguida e se manteve na liderança.

Na 45ª volta, um toque no pelotão de trás provocou bandeira amarela e a entrada do safety car. Nem isso, nem outros incidentes logo em seguida, mudaram a ordem dos concorrentes ao título. Fora a briga pela taça de campeão, porém, alguns pegas animaram o pelotão da frente. Especialmente com Power, que apareceu em segundo após nova rodada de pit stops.

No fim das contas, Herta segurou a pressão do australiano e garantiu sua segunda vitória em sua temporada de estreia na Indy. Ele é o pole e o vencedor mais jovem da história da categoria.

Na briga pelo último posto do pódio, Dixon levou a melhor sobre Pagenaud e se garantiu em terceiro. Rosenqvist foi o quinto, à frente de Rossi. O sétimo foi o francês Sébastien Bourdais, da Dale Coyne, que passou Newgarden no fim.

Reféns do fraco carro da AJ Foyt em circuitos fechados como Laguna Seca, os brasileiros Tony Kanaan e Matheus Leist ficaram para trás. Campeão da Indy em 2004 e vencedor das 500 Milhas de Indianápolis de 2013, Kanaan ficou em 16º, logo à frente do jovem companheiro. A temporada 2020 da Fórmula Indy começa no dia 15 de março, com a realização da etapa de Saint Petersburg.

Compartilhar

Ler a notÍcia completa

Deixe seu comentário