Presidente da Uefa diz que há 'planos A, B e C' para terminar temporada na Europa

Futebol europeu está parado por causa do coronavírus e ainda não tem data para voltar

Paralisado em razão da pandemia do novo coronavírus, o futebol europeu ainda não tem data para voltar. Diante de um cenário cheio de incertezas, o presidente da Uefa, Aleksander Ceferin, disse que trabalha com várias possibilidades para finalizar todas as competições na Europa.

"Não sabemos quando essa pandemia terminará, mas temos um plano A, B e até C. Estamos em contato com as ligas, com os clubes, há um grupo de trabalho. Temos que esperar, como qualquer outro setor", disse Ceferin, em entrevista ao jornal italiano La Repubblica.

Ceferin apresentou algumas datas possíveis. Ele crê que a temporada seja reiniciada em breve, mas admite que, se os torneios não forem retomados até o fim de junho, as disputas estão perdidas.

"Poderíamos começar de novo em meados de maio, de junho ou no fim de junho. Então, se não conseguirmos, a temporada provavelmente está perdida", reconheceu o esloveno. "Há também a proposta de terminar esta temporada no início da próxima, que seria adiada, começando um pouco mais tarde", acrescentou.

Sobre a redução dos salários dos jogadores, Ceferin enfatizou que não existe "espaço para egoísmos" nesta situação, ressaltando que muitos jogadores estão de acordo. Alguns clubes, como Barcelona e Paris Saint-Germain, já anunciaram a medida, como forma de mitigar o impacto econômico provocado pela pandemia.

O esloveno que comanda desde 2016 a entidade que rege o futebol europeu rechaçou a possibilidade de haver jogos com portões fechados.

"Vamos ver quais são as melhores soluções para as diferentes ligas e clubes. É difícil imaginar todos os jogos de portões fechados, mas agora nem sabemos se vamos retomar, com ou sem espectadores. Se não houver outras alternativas, ainda seria melhor concluir o campeonato", declarou o presidente da Uefa. "Posso dizer que não penso nas finais da Liga dos Campeões de portões fechados", reforçou.

O dirigente também rebateu as críticas pela manutenção da disputa de parte das oitavas de final da Liga dos Campeões, especialmente do duelo entre Atalanta e Valencia, disputado em Milão, cidade na região da Lombardia, uma das mais afetadas pela doença na Itália. O prefeito de Bérgamo, também na Lombardia, chegou a dizer que o confronto foi uma "bomba biológica" de propagação da covid-19 na Itália e Espanha.

"Eu vi uma crítica idiota sobre a viagem a Milão, mas em 19 de fevereiro (data da partida) ninguém sabia que a Lombardia seria o centro da epidemia", considerou.

Compartilhar

Ler a notÍcia completa

Deixe seu comentário