Tamanho de fonte
Atualizado em domingo, 7 de outubro de 2012 - 17h29

Ana Marcela Cunha comemora bi mundial

Brasileira garantiu o título antecipado da Copa do Mundo ao vencer a prova de Hong Kong neste domingo
Ana Marcela Cunha disputava o título com as alemãs Angela Maurer e Nadinee Riechert / Satiro Sodré/CBDA Ana Marcela Cunha disputava o título com as alemãs Angela Maurer e Nadinee Riechert Satiro Sodré/CBDA

A nadadora Ana Marcela Cunha garantiu antecipadamente o bicampeoanto da Copa do Mundo de maratona aquática, ao vencer o circuito de Hong Kong neste domingo, após ter realizado a prova em 2h11m48s30.

 

"Desde janeiro que eu venho batalhando por esta conquista. Foram sete provas. Falta mais uma. Mas eu já consegui o feito [conquistar a Copa do Mundo]. Fui a primeira atleta sul-americana a ser bi. Eu venci três provas. Consegui um segundo lugar, dois terceiros e um sexto", disse em entrevista exclusiva à Rádio Bradesco Esportes FM

A brasileira disputava o título com as alemãs Angela Maurer e Nadinee Riechert. "Vim a prova inteira marcando as duas alemães que estavam mais próximas de mim na pontuação. Sabia que, se eu vencesse, sairia daqui com o bicampeonato. O meu objetivo era não perder para elas. Graças a Deus, me senti muito bem a prova inteira. Nos últimos 400 m eu decidi a prova e dei o meu máximo."

Mesmo já tendo garantido o título, Ana Marcela Cunha afirmou que irá para a etapa de Shantou, na China, que será realizado no próximo dia 13, com a ambição de ganhar. "A vontade de vencer é maior que qualquer outra coisa. E vou querer ganhar mais uma prova. Escutar o hino nacional é muito bom. Representar o Brasil é a maior gratificação de um atleta. Mesmo sabendo que sou bicampeã e vou para cima na última prova."

A nadadora ainda falou sobre as proximas competições. "Vou focar no Mundial em Barcelona [2013], nas provas de 5, 10 e 20 e tentar esse bi."

Ana Marcela Cunha também já pensa na Olimpíada de 2016. "Nosso treinamento de 2013 vai ser focado na Copa do Mundo de 2014. Em 2015, voltamos para o Mundial. Focaremos nos 10 km, que vai ser a seletiva para as Olimpíadas. Vai ser na Rússia, provavelmente a água deve ser um pouco gelada e acho que isso me favorece", contou.

"A Olimpíada é o auge do atleta e quanto mais participar é melhor. Então, gostaria de estar em 2016, 2020 e quem sabe, em 2024", ressaltou a brasileira. "Infelizmente, eu não fui para Londres por causa de 3s. Mas o Brasil estava muito bem representado pela Poliana [Okimoto]. A água estava muito fria, mas ela fez o que pode."